Notícias

Falar sobre dinheiro com criança, pode?

11 de maio de 2020

Conversar sobre dinheiro com adultos já é complicado, agora imagina falar sobre o tema com crianças? Pois é, muita gente tem medo de tocar no assunto com os pequenos, seja por vergonha, por achar desnecessário ou simplesmente não saber como fazer.

Para dar uma ajudinha, no post de hoje vamos trazer algumas dicas de como levar esse tema tão importante para as futuras gerações!

1º – Fale sobre dinheiro!

Pode parecer óbvio, mas pare para pensar: quantas vezes falou sobre dinheiro com uma criança? Chances são de que a resposta seja nunca ou poucas vezes. Agora, como podemos exigir que essas crianças aprendam a lidar com dinheiro, se elas sequer o entendem? Por isso é importante introduzir o tema aos poucos, evoluindo a complexidade de acordo com que a idade avança e sempre estar disponível para tirar possíveis dúvidas.

2º – Cofrinho, semanada e mesada.

É importante, também, que a criança tenha contato com dinheiro. Quando ainda são muito pequenos opte pelo cofrinho, permitindo um contato mais lúdico e explicativo. A partir da pré-escola a semanada é ideal, uma vez que a noção de tempo da criança é diferente do adulto. Já quando adolescente, é interessante adotar uma mesada, uma vez que eles têm mais liberdade para decidir seus gastos. O mais importante é, mesmo quando gastarem todo o dinheiro, eles só devem receber na data estabelecida. Dessa forma incentiva um melhor planejamento de metas.

3º – Planejamento é tudo.

Falando em metas, uma parte muito importante desse processo é ensinar as crianças a planejar os seus gastos. No início é interessante que incentive um diário de gastos, no qual a criança consiga visualizar o quanto tinha e o quanto já gastou. Com o tempo, apresente conceitos de planejamento de curto, médio e longo prazo. Quer comprar um lanche na escola? Precisa economizar apenas um dia. Agora se quer comprar um brinquedo? São necessárias três semanas de economia. Dessa forma, a criança cresce acostumada a se planejar e evitar gastos problemáticos.

4º – Desapega!

Depois de ensinar aos pequenos como economizar para comprar o que querem, chegou o momento de desapegar! Pode parecer estranho, mas é importante mostrar para as crianças que o dinheiro, e o que você pode comprar com ele, são apenas uma ferramenta para alcançar seus objetivos e não o destino final. Por isso, eventualmente, incentive a doação de coisas que já não usam mais, para os jovens é interessante que também incentive o trabalho voluntário. Assim, você mostra que o consumismo e individualismo não são as únicas formas de se enriquecer!

Essas são apenas algumas dicas de como iniciar o processo de educação financeira das crianças, uma parte muito importante no desenvolvimento de adultos mais maduros e independentes.

TAGS

Todos os direitos reservados.